quinta-feira, 16 de abril de 2015

[Opinião] "O Dardo de Kushiel" de Jacqueline Carey (Chá das Cinco)

0




Sinopse:

Um mundo de poetas astutos, cortesãs perigosas, traidores heroicos e uma crueldade verdadeiramente maquiavélica. 

Phèdre é uma jovem nascida com uma marca escarlate no olho esquerdo. Vendida como escrava em criança, é comprada por um fidalgo, Anafiel Delaunay, detentor de uma missão e de muitos segredos. E ele é o primeiro a reconhecê-la como a eleita de Kushiel: uma mulher para quem a dor e o prazer são uma coisa só.
Phèdre aprende as artes da corte e de alcova, mas sendo observadora e perspicaz, torna-se uma espia talentosa e uma irresistível cortesã. No entanto, Phèdre tropeça numa teia que ameaça os próprios alicerces da sua pátria. A traição mostra-lhe o caminho a seguir, o amor e a honra instigam-na a ir mais longe. Mas a crueldade do destino vai levá-la ao limite do desespero... e para além dele. No meio do ódio e da desconfiança, Phèdre apenas terá uma oportunidade de salvar tudo o que lhe é mais querido.

Ficha Técnica:

Chancela: Chá das Cinco
Data 1ª Edição: 18/02/2015
ISBN: 9789897101373
Nº de Páginas: 400
Dimensões: [160x230]mm
Encadernação: Capa Mole

Opinião:

"O Dardo de Kushiel" já foi publicado anteriormente pela Chá das Cinco em Fevereiro de 2010,cinco anos atrás. Mas, não conhecia a autora. Quando foi reeditado este livro há dois meses fiquei curiosa após ler a sua sinopse e resolvi, então, lê-lo.

Apaixonei-me pela personagem principal, Phèdre é uma personagem surpreendente, que vemos crescer ao longo do livro. É absolutamente fascinante a forma como o autor ligou o crescimento com a apresentação do Universo onde este livro, a Terre D'Ange, a actual França, não se tornando maçador e tudo nos parece natural. Esta personagem transforma-se numa mulher sensual e acabamos por descobrir em conjunto com ela a sua verdadeira natureza e como isso a define, podendo se tornar numa verdadeira prisão. 

Aos poucos ela entra num mundo que desconhecia e começa a descobrir que há muito mais do que pensava inicialmente e aos poucos se vê envolvida numa teia de espionagem em que ela arrisca tudo e pode ser vítima da sua própria natureza.

Delaunay, na minha opinião, explora a natureza de Phèdre para o seu proveito. Ele é o primeiro a identificá-la pelo que esta realmente é. Ainda pouco sabemos acerca dele e do seu passado. Mesmo no final deste livro perguntamo-nos acerca do seu interesse em tudo. 

Há duas personagens secundárias que nos vão acompanhar ao longo do romance e que vão influenciar a Phèdre e todas as suas decisões. Estes são o Alcuin e o Hyacinthe, ambos vão influenciar o desenvolvimento desta e parece-me que ainda há muito por explorar nestes dois.

Jacqueline Carey criou uma terra cheia de mistério, jogos de poder e intrigas que nos vão fazer pensar  simultaneamente temos uma tensão erótica bastante vincada e ficarmos viciados na sua escrita. Este aspecto fez-me lembrar bastante uma das minhas autoras preferidas Anne Bishop, editada pela Saída de Emergência.

Um livro que nos vai deixar agarrados e cheios de curiosidade de ler os seguintes.

LilianaNovais
Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário