domingo, 7 de abril de 2013

[Opinião] “O Grande Arquiteto do Universo – do símbolo à fratura” de Robert Kalbach (Campo da Comunicação)

0



Sinopse:

Símbolo importante da maçonaria, o Grande Arquiteto do Universo surgiu, no século XVI, para representar Deus. Na Maçonaria nascente do século XIX, aparece como o menor denominador comum metafísico, mas, para a imensa maioria dos maçons, é claramente o Deus da Bíblia. Para Newton, sábio da modernidade e, simultaneamente, biblista apaixonado, ele é visto como o Grande relojoeiro e matemático. Ao deus trinitário dos cristãos opõe-se este «deus uno». Mas, como escreveu Voltaire, indo cada um para o céu pelo caminho que mais lhe agradar, este conceito cómodo aceita todas as definições, todos os homens projetam nele as suas próprias crenças, até à mais flexível, a de um «princípio criador» não definido. A referência ao GADU foi, em todo o caso, obrigatória em França até 1877, em todas as lojas de todas as obediências. Foi nesta data que o Grande Oriente de França rompeu com esta obrigação, assentando, assim, as bases da liberdade absoluta de consciência. Através da história deste símbolo, é toda a história da evolução das ideias que levam à nossa «modernidade» que é assim traçada.

Ficha Técnica:

Edição/reimpressão: 2012
Páginas:184
Editor: Campo da Comunicação
ISBN: 9789898465085

Opinião:

Este livro tem como objectivo entender quem é O Grande Arquitecto do Universo na maçonaria e quando é que essa ideia surgiu.
O autor apresenta alguns aspectos da maçonaria desde os seus primórdios até ao seu aspecto actual, referindo nomes como Newton e a Royal Society como estando relacionados com esta sociedade secreta.
A maçonaria é tida como um grande monstro que tem como objectivo controlar o mundo. E muitas vezes é referida como um cancro que se deve combater. Robert tenta neste livro desmitificar e mostrar a história deste culto que remonta à época de Henrique VIII na Inglaterra quando surgiram os primeiros sinais de quebra com a Igreja Católica Romana.
É um bom livro de pesquisa e no qual se consegue entender certos aspectos da maçonaria, um tema tão abordado na literatura contemporânea.
Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário