sábado, 4 de outubro de 2014

[Opinião]“Céu” de Alexandra Adornetto (Editorial Planeta)

0



Sinopse:

Bethany, um anjo enviado à Terra, e o namorado mortal Xavier estiveram no Inferno e conseguiram regressar. No entanto, o seu amor irá submeter-se à mais dura prova, uma vez que, ao casarem, desafiaram as leis do Céu. Nem os irmãos arcanjos de Bethany, Gabriel e Ivy os poderão ajudar na Corte Celestial. Os Anjos Caídos estão empenhados em separar Beth e Xavier, destruir Gabriel e Ivy e levar o lado obscuro ao poder angélico dos Céus. A única coisa que podem fazer para evitar as forças do mal é esconderem-se à vista de todos e misturarem-se com os mortais da mesma idade.

Ficha Técnica:

Bethany, um anjo enviado à Terra, e o namorado mortal Xavier estiveram no Inferno e conseguiram regressar. No entanto, o seu amor irá submeter-se à mais dura prova, uma vez que, ao casarem, desafiaram as leis do Céu. Nem os irmãos arcanjos de Bethany, Gabriel e Ivy os poderão ajudar na Corte Celestial. Os Anjos Caídos estão empenhados em separar Beth e Xavier, destruir Gabriel e Ivy e levar o lado obscuro ao poder angélico dos Céus. A única coisa que podem fazer para evitar as forças do mal é esconderem-se à vista de todos e misturarem-se com os mortais da mesma idade.

Opinião:

Céu” é o terceiro volume de uma antologia e que tem fãs por todo o mundo, adoradores tornaram esta série de culto. Começou em “Halo” e teve a sua continuação em “Halo”, e teve a sua continuação em “Hades”, eu ainda não tinha lido nenhum livro desta autora e fiquei surpreendida pela positiva com esta. “Céu” é um livro muito interessante. Quando o li, senti a falta de conhecimento mais profundo da história e dos acontecimentos que geraram a situação inicial do livro, o casamento, o casamento das duas personagens principais, Bethany e Xavier.

Estes dois já são inseparáveis e lutaram contra o céu e o inferno pelo direito de estarem juntos apesar de tudo parecer estar contra eles, têm uma atitude “nós contra o mundo”. Um pormenor muito importante neste livro é o facto de quando pensamos neste casal, pensamos nos dois enquanto uma entidade única e não os distinguimos, ou seja, o trabalho da autora é tão bom que cria a sensação que ambos têm de estar juntos porque se completam e seria impensável conceber um sem o outro, enquanto entidades autónomas e únicas.

Há várias personagens que os acompanham, umas para os apanharem e outras para os protegerem.

Gostei particularmente do Gabriel enquanto irmão mais velho de Bethany assume completamente essa posição e também assume uma atitude positiva e forte ao longo de todo o romance, é uma personagem que enche a sala sempre que entra, é impossível ficar indiferente à sua presença, este é responsável por um dos momentos mais emotivos de todo o livro, como ainda não li os anteriores mão posso afirmar que seja o mais emotivo de todos, se bem que não sei como a autora poderia ultrapassá-lo nesse aspecto.

Ivy não tem grande destaque e parece-me que é mais utilizada como sendo a voz da consciência que tenta levar as outras personagens a fazerem o que está certo e a guiá-las no caminho certo que devem seguir.

Quanto aos chamados inimigos. Temos os Sete cujo objectivo e propósito não são bem claros, sabemos que andam atrás do nosso casal de protagonistas, mas não compreendemos bem os seus motivos. E, mesmo no final de tudo, não é bem claro o que pretendem.

Satanás é aquela personagem que não foge muito da ideia clássica que temos dele, se bem que gostaria de o ver a tomar um a atitude menos previsível.


Tendo apenas lido este volume fiquei com bastantes questões e dúvidas acerca das personagens e eventos, mas mesmo assim a autora conseguiu agarrar a minha atenção e deixar-me curiosa acerca do seu mundo e das suas personagens.
Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário