segunda-feira, 2 de setembro de 2013

[Opinião] "A Rainha Suprema" de Marion Zimmer Bradley (Saída de Emergência)

1


Sinopse: 

O clássico As Brumas de Avalon regressa ao mercado português para dar a conhecer a uma nova geração esta história mágica e intemporal centrada nas mulheres que, por detrás do trono de Camelot, foram as verdadeiras detentoras do poder.    
A misteriosa Morgaine é meia-irmã de Artur e grã-sacerdotisa da brumosa Avalon, terra encantada onde o verdadeiro conhecimento é preservado para os vindouros. Para Morgaine existe um objetivo fundamental: afastar a Bretanha da nova religião que vê a mulher como portadora do pecado original. A bela rainha Gwenhwyfar jurou fidelidade ao rei Artur, o Rei Supremo, mas não consegue esquecer a paixão que sente por Lancelot, exímio cavaleiro e melhor amigo de Artur. Quando o seu dever de concebe um herdeiro para o trono falha, Gwenhwyfar convence-se de que é vítima de um castigo divino e entrega-se de corpo e alma à religião de Cristo. As hostilidades aumentam inevitavelmente entre ambas as mulheres que detém o poder em Avalon e Camelot. Conseguirá Artur conciliar dois mundos antagonistas sob os estandartes reais e resistir aos Saxões? Se Morgaine tudo fará para proteger a sua herança matriarcal e desafiar a nova religião que cresce, já Gwenhwyfar não hesitará em persuadir Artur a trair os seus juramentos… 

Ficha Técnica: 

Chancela: Saida de Emergência 
Coleção: BANG 
Saga/Série: As Brumas de Avalon  Nº: 2 
Data 1ª Edição: 11/05/2012 
ISBN: 9789896374228 
Nº de Páginas: 288 
Dimensões: [160x230]mm 

Opinião: 

Este é o segundo Volume desta saga da Marion Zimmer Bradley. O primeiro Volume já foi criticado aqui no Blog anteriormente. 

Tal como o volume anterior, a história é contada da perspectiva feminina. conhecemos mais a fundo as mais variadas personagens que completam esta famosa lenda. Morgaine já não é o foco central, passa muito tempo desaparecia, ao ponto que quer Viviane quer Artur ficam preocupados com a sua ausência. 

Vemos a evolução de Gwen e como ela não é capaz de dar um herdeiro a Arthur e isso torna-a uma pessoa mais amarga e mais dura, também um pouco mais obcecada por Lancelet. Este por sua vez isola-se e afasta-se da corte. todos se apercebem do que eles sentem um pelo outro. 

Arthur mostra-se um rei calmo e sábio que quer o melhor para o seu povo e se mantém fiel às promessas que fez até ao momento em que é convencido por Gwen a abandonar as crenças da religião antiga e ofender os tribos, isto revela alguma instabilidade e acaba por criar um fosso entre as várias populações. Isto será um prenúncio do fim? 

Novamente viajamos por um mundo mágico, em que as duas religiões estão em conflito e só uma delas será vencedora. Surge pela primeira vez a tábula redonda, que é tão famosa e um dos símbolos de Camelot. 

A forma como Marion escrevia era viciante e muito clara. neste volume vamos a critica à religião a ganhar mais peso e a forma como a mente humana funcionava naquela altura e como o cristianismo mudou muito a forma como a sociedade encarava o sexo feminino. 

o final em aberto deixa-nos a desejar pela continuação.
Reacções:

1 comentário:

  1. Olá,

    Já li estes livros todos da MZB e realmente adorei, só espero que esteja a ter o sucesso que merece, é uma excelente aposta da Editora, embora muita gente já a tenha lido.

    Mas há sempre novos leitores e penso que começarem na fantasia por aqui não é nada mau ;)

    Muitas surpresas boas ainda terás pela frente :D

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar