sábado, 31 de agosto de 2013

[Opinião] “O Barão” de Sveva Casati Modignani (Porto Editora)

1




Sinopse:

Bruno Brian di Monreale, o Barão, como é conhecido, é o último descendente de uma antiga e nobre família siciliana. Bruno cresce na Califórnia, com um pai severo e distante e uma mãe dividida entre um casamento precipitado, onde não existe amor, e uma paixão deixada na sua Sicília longínqua. No entanto, são as raízes sicilianas que levam Bruno a regressar à sua ilha natal, ao seu avô, um velho aristocrata e a Calò, o padrinho sempre presente. Serão estas duas figuras que lhe irão transmitir o saber ancestral das velhas famílias e da sua ética e código de justiça.

Bruno di Monreale envolve-se nos negócios do petróleo e das grandes multinacionais, tornando-se num homem poderoso e fascinante. Os amores inconsequentes e os casos fortuitos sucedem-se na sua vida glamorosa mas dominada pela insatisfação, até que se cruza com Karin, uma mulher reservada e misteriosa. Karin revelar-se-á o desafio por que Bruno ansiava e vai trazer-lhe o equilíbrio há tanto desejado.

Em O Barão, um dos primeiros romances da autora, Sveva Casati Modignani revela-nos os meandros de uma sociedade disposta a tudo para manter os seus privilégios, criando um mosaico de personagens vibrantes.

Ficha Técnica:

Editora                 Porto Editora
Data de Lançamento     30-08-2013
ISBN      5601023044498
Dimensões        23,5 x 15 x 2,7 com
Nº Páginas         512
Encadernação   Capa mole

Opinião:

O Barão” é o segundo livro da autora Sveva Casati Modignani que leio. É um livro complexo e com uma história complexa e que nos envolve rapidamente. 

Sveva leva-nos numa viagem pelos mais exóticos locais do mundo, desde Itália, passando por França, África e os Alpes. Ela descreve com destreza e de forma apaixonante os vários Locais e cenários onde decorre a acção.

A história passa-se em diversos tempos, quer no passado, quer no presente. Sempre relacionado de alguma forma com as personagens principais, Bruno Brian di Monreale e Karin. Quando começamos o livro notamos o mistério que os envolve aos dois e que eles utilizam máscaras emocionais que mostram ao mundo, nunca chegando ninguém a conhece-los verdadeiramente. Aos poucos as coisas são esclarecidas e entendemos as duas personagens.

Bruno é um homem muito seguro de si. Conhecido pelas suas aventuras e pelos seus casos. Ao longo da história, o personagem revela-se muito mais do que apenas um playboy, ele é um homem astuto, inteligente e que gosta de provar do que é capaz. Quando conhece Karin, fica intrigado por ela e pela sua aparente resistência aos seus encantos. Desde o início vemos que eles são perfeitos um para o outro mas será que vão conseguir fugir dos fantasmas do seu passado e ficar juntos no final.

Em paralelo a esta história conhecemos a mãe de Bruno e como as decisões que ela toma acabam por moldar o filho e a forma que ele vê a vida. Annalisa é a versão feminina do seu filho, é teimosa e toma as decisões sem pensar nas suas consequências. Mas, ao contrário de Bruno é bastante egoísta.

Os saltos temporais da história podem ser um pouco confusos inicialmente, mas depois de compreendermos a organização da história, torna-se mais fácil de compreender. Eu gostaria de ter visto um pouco mais de conflito entre Karin e Bruno. 

É um livro que vai apaixonar pela sua grande variedade de personagens e de situações.
Reacções:

1 comentário:

  1. Olá,

    Desta escritora apenas li Baunilha e Chocolate e ADOREI, um exemplo de vida, uma história muito bem escrita ;)

    ResponderEliminar