quinta-feira, 18 de julho de 2013

[Opinião] “As Elites de Portugal” de Fonseca de Almeida (Edições Vieira da Silva)

0


Sinopse:

Portugal está hoje mergulhado numa profunda crise. A emigração volta aos níveis dos anos 60, o desemprego atinge níveis nunca antes vistos, a fome alastra entre vastas camadas da população.

 Historicamente, encarámos outros dédalos e encruzilhadas. Nesses momentos dramáticos, em que o futuro de um povo se joga e se determina por muitas décadas, sempre que se assistiu a uma renovação de elites, a uma viragem de perspectiva procurando o seu próprio caminho (casos de 1385, 1640, 1975), a sociedade progrediu e colectivamente a­rmou-se, pelo contrário quando os interesses instalados e as velhas elites se consolidaram o país murchou e de­finhou, atrasando-se profundamente.

 Hoje a questão que se coloca é a de saber se as actuais elites que nos dirigem, empregam e governam estão em condições de desatar o nó górdio e com a sua acção resoluta de liderança nos domínios político, económico, científi­co e ético, conduzir a sociedade na senda do progresso.

 A tese que se apresenta, defende e demonstra é a de que as actuais elites, com o seu egoísmo, a sua aversão ao risco e á inovação, a sua ignorância, a sua incompetência e imobilismo, o seu conservadorismo, a sua origem estrangeirada, a sua reduzida dimensão e ausência de mecanismo de ren­ovação, não estão à altura dos desafios e que o seu apego às rédeas do comando apenas nos pode levar pelo caminho inclinado do declínio e da decadência rumo a um crepúsculo triste e amargurado.­­

Ficha Técnica:

Coleção: ensaio
ISBN: 978-989-736-025-1
Depósito Legal: 357239/13
Número de Páginas: 209

Opinião:

Este livro retrata a sociedade portuguesa de uma forma crua e directa. Leva-nos a ponderar acerca de uma realidade que nos escapa diariamente. A maioria da população permanece ignorante acerca desses pormenores e que no fundo regem a nossa vida. Se na monarquia essas elites eram bem conhecidas e mostravam-se à população em geral. As elites dos tempos actuais mantêm-se um pouco à margem.

As ideias do autor podem ser bastante controversas e certas elites podem até se sentir ofendidas. Mas os argumentos apresentados pelo autor são válidos e realistas, as suas teses estão bem suportadas com estatísticas e argumentos válidos.

A linguagem apresentada para explicar as diversas situações, é simples e acessível estando ao alcance de todos os leitores.


Este é um livro que deveria ser lido por todos os Portugueses.
Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário