domingo, 2 de fevereiro de 2014

[Opinião]"Quinto Império" de Rafael Santos (Chiado Editora)

0


Sinopse:

Numa realidade onde se instituiu nos meados do século XVIII uma secularização radical – as religiões foram abolidas das constituições e a prática pública dos credos proibida –, floresce no Portugal do novo milénio uma marginalizada ordem religiosa de inspiração cristã (os Querubins) profundamente empenhada na mudança das mentalidades ateias. Uma ordem, no entanto, dividida entre duas facções com visões distintas do futuro da humanidade e sua imediata e redentora relação com Deus: de um lado um intransigente grupo que abomina o laicismo, que exige politicamente o fim da secularização, e que não se abstém de utilizar o terror como poderosa arma de conversão dos ímpios na hora da Indulgência; do outro, uma ala moderada que deposita as suas esperanças numa profecia que preconiza a bem-aventurada salvação do Homem, convertendo-o pacificamente aos ensinamentos de Cristo; proporcionando à Humanidade uma alternativa à ira de Deus certificada no Livro do Apocalipse.

A protagonizar esta esperança está um casal adolescente que descobre em Sintra uma água com propriedades místicas que acaba por se tornar a derradeira ferramenta para a concretização da velha profecia do Quinto Império.Ao investirem profunda e ingenuamente nos seus nobres objectivos, David e Sara dão consigo imersos numa pesada trama conspirativa perpetrada por fundamentalistas, um intransigente grupo que planeia perversamente o uso daquela mesma água para um choque à escala internacional, capaz de espoliar a civilização de todas as comodidades do mundo moderno, impondo ao Homem a humildade perdida.

Quinto Império (Passado) é a primeira parte de uma trilogia que retrata o empenho de duas facções com diferentes ideais de apoteose, passíveis de aproximar o homem de Deus – criando assim o definitivo império espiritual na Terra; uma geração constantemente confrontada com uma sociedade ateia que parece temer a opressão dos dogmas e a imposição de utopias religiosas.

Ficha Técnica:

Autor: Rafael Santos
Colecção: Viagens na Ficção
Páginas: 536
Data de publicação: Junho de 2013
Género: Ficção
Preço: 17,00 €
ISBN: 978-989-51-0396-6

Opinião:

Este é o romance de estreia de Rafael Santos, o qual se estreia com uma trilogia. Uma aposta arriscada por parte do autor.

Neste romance o autor toma a premissa que todas as religiões podem ter extremistas e neste caso os extremistas são católicos. Num universo em que houve uma separação total dos poderes e que o estado é totalmente laico, a religião é vista como algo do passado e desactualizada e queque deixou de ser seguida pela população geral.

O livro inicia-se com um acontecimento dramático que vai marcar todo o tom utilizado e os eventos que se seguem.

O autor utilizou com bastante eficácia o conhecimento que temos acerca dos casos de fanatismo e lavagens mentais por parte das seitas religiosas. O romance lê-se facilmente quer pela forma de escrita do autor quer pelo tipo de letra que o autor utilizou.

O universo do autor é credível e ele tornou-o o mais realista possível. Deixando o leitor entrar na história facilmente e seguir as personagens ao longo do livro.

Os personagens são credíveis e as suas reacções compatíveis com as suas personalidades.
O autor decidiu escrever o livro em várias fazes, umas no passado e outras no futuro para que compreendêssemos os eventos e a forma como as personagens chegaram até àquele ponto. E isso foi uma boa técnica que ele utilizou.


O cina em aberto deixa-nos com curiosidade de saber mais.
Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário