quinta-feira, 11 de julho de 2013

[Opinião] “O Símbolo Perdido” de Dan Brown (Bertrand Editora)

0



Sinopse:

Washington, D. C.: Robert Langdon, simbologista de Harvard, é convidado à última hora para dar uma palestra no Capitólio. Contudo, pouco depois da sua chegada, é descoberto no centro Rotunda um estranho objecto com cinco símbolos bizarros.
Robert Langdon reconhece-os: trata-se de um convite ancestral para um mundo perdido de saberes esotéricos e ocultos.

Quando Peter Solomon, eminente maçom e filantropo, é brutalmente raptado, Langdon compreende que só poderá salvar o seu mentor se aceitar o misterioso apelo.

Langdon vê-se rapidamente arrastado para aquilo que se encontra por detrás das fachadas da cidade mais poderosa da América: câmaras ocultas, templos e túneis. Tudo o que lhe era familiar se transforma num mundo sombrio e clandestino, habilmente escondido, onde segredos e revelações da Maçonaria o conduzem a uma única verdade, impossível e inconcebível.

Trama de história veladas, símbolos secretos e códigos enigmáticos, tecida com brilhantismo, O Símbolo Perdido é um thriller surpreendente e arrebatador que nos surpreende a cada página.
O segredo mais extraordinário e chocante é aquele que se esconde diante dos nossos olhos…

Ficha Técnica:

Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 832
ISBN: 9789722524889

Opinião:

Este é o último livro em que Dan Brown nos escreveu com o Robert Langdon, até sair o “Inferno”, ele aborda os mitos maçónicos, num livro que tem momentos que choca, quer pelo que acontece quer pela aparente frieza com que Langdon reage em certos momentos.

Foi o livro que achei mais completo e com mais acção dos três que tinham esta personagem. Acaba por ser também o mais complexo e que mantem mais mistério até ao final, não revelando todas as informações até ao derradeiro final. Por momentos, os personagens parecem sobre-humanos e quase desprovidos de sentimentos, porque não reagem emotivamente, mas isso pode ser o objectivo do autor. Novamente o autor torna o Robert como o centro da acção e como um homem muito inteligente. Gostei particularmente da personagem da Katherine Solomon que é uma mulher da ciência e uma inspiração para muitas mulheres.

Neste conjunto de livros, o autor peca porque descarta personagens muito complexas e que poderiam ser úteis noutros livros e que mereciam mais destaque.


É uma série de livros que agrada a todos os leitores de livros com intrigas e mistérios. Mas que os mais críticos conseguem ver semelhanças na estrutura.
Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário