segunda-feira, 10 de agosto de 2015

[Opinião] "Letras Escarlates" de Anne Bishop (Saída de Emergência)

0



Sinopse:

Letras Escarlates não é só o melhor livro de fantasia urbana do ano, é provavelmente um dos melhores de sempre.

Ninguém tem a capacidade de criar novos mundos como Anne Bishop, autora bestseller do The New York Times. Nesta nova série somos transportados para um mundo habitado pelos Outros, seres sobrenaturais que dominam a Terra e cujas presas prediletas são os humanos.

Meg é uma profetisa de sangue. Sempre que a sua pele é cortada, ela tem uma visão do futuro – um dom que mais lhe parece uma maldição. O Controlador de Meg mantém-na aprisionada de forma a ter acesso total às suas visões. Quando finalmente ela consegue escapar, o único sítio seguro para se esconder é no Pátio de Lakeside – uma zona controlada pelos Outros.


O metamorfo Simon Wolfgard sente alguma relutância em contratar a estranha que lhe pede trabalho. Sente que ela esconde algo e, para além disso, ela não lhe cheira a uma presa humana. Algo no seu íntimo leva-o a contratá-la, mas ao descobrir quem a jovem realmente é e que o governo a procura, ele terá de tomar uma decisão. Será que proteger Meg é mais importante do que evitar o confronto que se avizinha entre humanos e Outros?

Ficha Técnica:

Chancela: Saida de Emergência
Data 1ª Edição: 19/06/2015
ISBN: 9789896377397
Nº de Páginas: 512
Dimensões: [160x230]mm

Encadernação: Capa Mole

Opinião:

O facto de ter começado a escrever no Blog e a ler vários autores que nunca tinha lido, conheci a obra de Anne Bishop.  Tornei-me fã desta depois de ler a trilogia das Joias Negras, rendi-me aos Universos Criados por esta autora.

Ao contrário do que aconteceu na Trilogia que referi acima a autora optou por introduzir, de uma forma breve, o leitor a este novo Universo onde ocorre a acção, o que facilita bastante a introdução dos leitores à acção e a sentir empatia com os diversos personagens.

Gostei muito da analogia entre os terra indigene e os índios americanos, quer os da América do Norte e os da América do Sul. Aqui temos os monstros dos nossos pesadelos como indígenas de um continente, onde os humanos acabaram por ir viver. Mas, estes monstros nada têm de simpáticos e queridos, apenas nos vêm como presas, ou seja, como uma refeição. Vamos conhecer esses monstros e acabar por tentar os compreender. A autora consegue novamente nos envolver completamente na história.

Há personagens incríveis que nos vão fazer sentir imediatamente curiosos acerca das mesmas e que queremos conhecer melhor. Esse é o caso do avô como vão conhecer no livro, esta personagem enigmática e que todos temem vai-nos dar muito o que pensar e que imaginar acerca da sua natureza e das suas capacidades. Meg, por seu lado, é uma personagem que nos surge como um mistério a resolver, quem ela é e de onde veio? São as duas questões que nos vão atormentar ao longo romance, assim como tentar adivinhar quem é que está por detrás, a mexer os cordelinhos. Simon, neste primeiro livro, parece-nos um pouco perdido e confuso acerca da sua natureza e do que sente pela Meg. Se inicialmente nos parece muito bruto e ríspido, vamos acabar por ver que há mais do que imaginamos nesta personagem. É bem patente que a autora teve bastante trabalho na elaboração deste romance e das personagens que o incluem.


Este é um livro muito interessante e que nos vai deixar aguardar ansiosamente pelo próximo volume.




LilianaNovais


Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário