quarta-feira, 10 de setembro de 2014

[Opinião] “Isabel, a Condessa Cercada” de Pedro L. Torres (Saída de Emergência)

0


Sinopse:

Um obscuro desejo de conquista no deserto africano do Sultão

No início do séc. XVI, a expansão portuguesa avança sobre as praças mouras do norte de África, conquistando importantes posições do inimigo. Arzila, grandiosa praça costeira, recebe então um novo capitão, o Conde de Redondo, a quem o Rei D. João III, anos mais tarde, concedeu grandes louvores pelos seus serviços.

Mas como conseguiu este conde resistir aos cercos de um inimigo muito mais numeroso e ainda tomar posições pelo deserto fora? A razão ainda hoje é um mistério, mas rezam as rónicas que o conde gozava de boas relações com um alcaide mouro que entrava sorrateiramente na praça portuguesa.

Com base neste fragmento verdadeiro da História de Portugal, Pedro Torres desenha uma ficção que revela as motivações das misteriosas visitas, o jogo perturbante de paixões e intrigas por detrás das impossíveis conquistas portuguesas. Um jogo doce, elaborado pelas mãos de uma condessa portuguesa, na terra violenta e sensual dos Xarifes…

Ficha Técnica:

Chancela: Saida de Emergência
Coleção: A História de Portugal em Romances
Data 1ª Edição: 08/08/2014
ISBN: 9789896376604
Dimensões: [160x230]mm
Encadernação: Capa Mole

Opinião:

“Isabel, a Condessa Cercada” é o terceiro volume da colecção “A História de Portugal em Romances” que foi recentemente lançada pela editora Saída de Emergência. Os outros volumes já foram criticados anteriormente aqui no blog.

Neste volume viajamos até às exóticas paisagens do norte de África. Numa época áurea da história portuguesa acompanhamos uma história de amor e de paixão proibidas que vão encantar os leitores e levá-los a mergulhar num mundo desconhecido cheio de perigos e intrigas.

Isabel é uma mulher à frente do seu tempo, fogosa e apaixonada, a qual se encontra presa a um homem que usa os seus encantos a seu bel-prazer. Ela encontra o amor num lugar imprevisível e inesperado. Iniciando-se assim uma aventura que esta nunca poderia imaginar.

Apreciei bastante as cenas de amor, são descritas de forma cuidada e com bastante bom gosto, sem se tornarem brejeiras nem de mau gosto. O escritor tem bastante cuidado na sua linguagem e nas suas descrições pelo que torna o livro de leitura fácil e agradável.

Apenas gostaria que tivesse um pouco mais de factos históricos e mais pormenores acerca daquela época e da vida dos portugueses nas cidadelas e das escaramuças com os árabes.


Um romance bastante interessante sobre uma época cheia de mistérios, que se lê compulsivamente.
Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário