segunda-feira, 21 de abril de 2014

[Opinião] “Feitiço” de Sylvia Day (5 Sentidos)

0


Sinopse:

Neste jogo do gato e do rato, tudo parece uma ilusão mas a paixão é muito real.

Max Westin: a personificação da sensualidade.

Victoria podia até cheirá-la e senti-la assim que ele se aproximava.

Tudo nele era brutal e determinado. Uma criatura primitiva, tal como ela.

Max segurou a mão dela de forma intensa e a sua respiração ofegante e excitante deixou bem clara a sua intenção de a possuir, de a domar.

"Victoria."

O nome dela, uma só palavra, foi entoado com tamanha possessividade que ela quase sentiu a coleira à volta do pescoço

"Está na tua natureza", murmurou ele. "O desejo de seres possuída."

Ficha Técnica:

Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 216
Editor: 5 Sentidos
ISBN: 978-972-0-04659-8
Idioma:                Português

Opinião:

 “Feitiço” é o segundo livro que leio de Sylvia Day. O estilo erótico não é a minha leitura de preferência, mas a curiosidade levou a melhor porque este romance envolve um misto de fantasia e de erótico, achei que deveria ser uma leitura interessante, ver como esta autora aborda o tema. Encontra-se à venda a partir do próximo dia 24 de Abril.

Este livro é muito diferente do que li anteriormente, o que é excelente porque demonstra a versatilidade da autora e nos abre um novo mundo. A linguagem utilizada é muito explícita e esta não tem tabus, usa os nomes que pensa serem os melhores e não se preocupa se pode ou não chocar susceptibilidades, já que quem vai ler este romance são pessoas que já conhecem e apreciam este tipo de literatura.

Gostei das personagens principais, estas são bastante fortes. Victória tem muita personalidade e mostra que ser submissa não quer dizer que se tem de anular o seu individualismo nem a sua identidade. Ela faz muitas vezes o que quer e decide entregar-se a Max por vontade própria e não porque ele assim o exige. Ela decide o seu próprio caminho e não se deixa enganar facilmente.

Max, por seu lado, começa como sendo um predador, habituado a ter o que quer sem grande oposição. Ele tem uma missão e deixa-se envolver por Victória de uma forma que não contava nem desejava. A forma como a autora o descreve parece que tem tudo o que se pode desejar num homem e a sua sensualidade é palpável.

A autora mostra que uma relação entre dominador e submisso não é simples e que o primeiro está igualmente preso nessa situação e que sente a mesma necessidade de estar com o segundo.

Quanto à sinopse, pode ser considerada uma boa aposta da autora. Está muito vaga, o que desperta a curiosidade dos leitores. Foi ousada e isso poderá dar frutos, já que ninguém lhe fica indiferente.

A ação evolui a uma velocidade vertiginosa não deixando o leitor respirar e por vezes parece que caímos de para-quedas nas situações sem que haja uma explicação. Isso faz com que nos sintamos perdidos, inicialmente, mas a autora ao longo do livro nos vai preenchendo as lacunas.


Em suma, "Feitiço" comprova a versatilidade de Sylvia Day e nos leva para um mundo novo, onde o realismo é posto de lado e vêmo-la a explorar as personagens e todo o seu potencial, sem as limitações da realidade.
Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário