quinta-feira, 13 de março de 2014

[Opinião] “A Hora do Vampiro” de Stephen King (Bertrand Editora)

0


Sinopse:

Uma cidade, Salém, uma casa assombrada e os seus inquilinos (dois vampiros) são o ponto de partida para esta história maravilhosa de vampiros bem escrita e ao mesmo tempo assustadora. Romance de Stephen King publicado em 1975, inspirado no "Drácula" de Bram Stoker. Foi, em 1979, ponto de partida para o argumento do filme "Os Vampiros de Salém". «Se a narrativa - uma das melhores de King, que manuseia com invejável destreza um vasto elenco de personagens sobre um cenário que é tão verosímil como qualquer outra cidade americana do interior - foi tremendamente original em 1975, ainda mais original parece hoje, num cenário dominado por obras derivativas, pululantes de vampiros anódinos e desdentados.»Os Meus Livros

Ficha Técnica:

Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 520
Editor: Bertrand Editora
ISBN: 9789722521253
Coleção: Grandes Romances

Opinião:

“A Hora do Vampiro” de Stephen King é um dos seus primeiros livros. Depois de ter lido os seus êxitos mais recentes como o “A Cúpula” fiquei com receio de me sentir desiludida. A verdade é que mesmo tendo sido escrito numa altura inicial da sua carreira, o livro está tão interessante e emocionante como os volumes mais recentes.

Inicialmente, Stephen brinca connosco, tentamos adivinhar o que se passa, quem é o responsável pelo homicídios e qual é a sua ligação à casa Marsten e ao estranho crime que lá ocorreu, e que ainda assombra a cidade tanto tempo volvido. A acção passa-se na década de 70 mas quando lemos a história não notamos a diferença. Como é habitual, King criou uma história repleta de personagens principais e secundárias, todas desenvolvidas de uma forma bastante completa de acordo com os papéis que cada um tem. Mas começamos a ler sentimos logo curiosidade em saber quem são o homem e o rapaz.

Ben é uma personagem bastante interessante e que vai evoluir bastante ao longo do livro, desde jovem escritor apaixona a um matador de vampiros. Muito racional funciona como uma âncora para a história, está muito ligado às outras personagens e torna-se um homem de confiança e defensor da pequena cidade.

Personagens que gostaria de ter visto mais desenvolvidas seriam os dois estranhos: Straker e Barlow. Ficamos sem saber muitos pormenores acerca deles e o autor deixa muitas questões em aberto.


No geral, é um thriller muito interessante e que faz as delícias dos fãs deste autor.
Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário