sábado, 21 de dezembro de 2013

[Opinião] “Sebastian” de Anne Bishop (Saída de Emergência)

1


Sinopse:

Anne Bishop está de volta com um novo mundo de fantasia e personagens fascinantes. Bem-vindos a Efémera...

Bem-vindos a Efémera, onde a terra se altera em resposta aos mais profundos desejos e medos dos seus habitantes. Há muito tempo, Efémera foi dividida em inúmeras paisagens mágicas ligadas somente por pontes. Pontes que podem levar quem as atravessa para onde realmente pertence e não ao local onde pretende chegar. Numa dessas paisagens habitada por demónios e onde a noite impera, o meio-íncubo Sebastian delicia-se em prazeres obscuros. Contudo, aguarda-o um destino devastador. Uma aprendiza descuidada libertou um mal antigo que agora se agita - e o reino de Sebastian poderá ser o primeiro a sucumbir... Mas em sonhos, ela chama por ele: uma mulher que não deseja mais do que ser amada e sentir-se protegida - uma mulher pela qual ele anseia mas que sabe poder vir a destruí-la. Ela é Lynnea, e o seu improvável romance está no centro da batalha que se trava entre a luz e as trevas.

Ficha Técnica:

Chancela: Saída de Emergência
Coleção: BANG
Saga/Série: Mundo Efémera
Data 1ª Edição: 15/01/2010
ISBN: 9789896370787
Nº de Páginas: 384
Dimensões: [160x230]mm
Encadernação: Capa mole

Opinião:

Anne Bishop é sem dúvida uma das minhas autoras preferidas dos últimos tempos. Fiquei a conhecê-la graças à trilogia “Joias Negras”. Neste novo Universo de Efémera já tinha lido o “A voz”, mas que nada tem a ver com a história destes volumes.

O que me atrai na escrita desta autora é o seu lado negro e sensual que esta dá à sua obra e este Universo está repleto dele. Com Súcubas e Íncubos que habitam um local que é muito conhecido pelas populações, o Antro da Devassidão, criado por Belladona para que estes tivessem um refúgio onde se pudessem sentir em casa e serem eles próprios e fieis com a sua própria natureza sem terem medo de serem perseguidos.

Efémera é retratada como estando viva e com vontade própria, um ser vivo. As paisagistas protegem e mantêm as pessoas a salvo da sua influência, que poderia transformar tudo no caos. Anne Bishop mostra, neste volume, uma vez mais a sua enorme capacidade para criar locais e histórias. Este Mundo está bem desenvolvido e repleto de pormenores. A sensualidade e a sexualidade não são assuntos tabu para esta autora e ela utiliza-os como parte central e fulcral deste universo, que por um lado é puritano e escondem as suas perversões. Os demónios vivem em Efémera e são ostracizados, sendo mesmo vítimas de violência, alguns são mais susceptíveis e não se conseguem defender muito bem. Tudo seria idílico se não existisse uma tentativa de controlo por parte das paisagistas e dos magos para impedirem que um grande poder floresça, este é Belladona, a quem temem.

A sociedade pode-se considerar matriarcal até certos limites. Já que há uma cooperação entre os dois poderes. Mas uma força negra está-se a mover entre as paisagens, um poder antigo e negro e que ameaça todas as pessoas alimentando-se dos seus medos e a fortalecer-se.

Neste volume começamos a compreender a história, acompanhamos Sebastian, uma das personagens centrais deste mundo, um íncubo que se revela ser algo mais do que vemos inicialmente e que vive sozinho, e por mais que ceda à sua natureza sente um vazio dentro de si. O qual necessita de preencher e que apenas o é em sonhos quando uma jovem mulher o visita. Será que ambos vão conseguir se encontrar e triunfar quando tudo parece perdido e uma guerra se vislumbra no horizonte, a derradeira batalha entre o bem e o mal…

Reacções:

1 comentário:

  1. Viva,

    Gostei do livro, acabei por não ler o seguinte, embora considere que a Bishop vale mais pelo universo das Joias, ainda assim até gostei do livro ;)

    Bjs e boas festas :D

    ResponderEliminar