quarta-feira, 27 de novembro de 2013

[Opinião] “O Último Ano em Luanda” de Tiago Rebelo (Edições ASA)

0


Sinopse:

Nos derradeiros meses do império colonial, um casal luta para sobreviver à guerra. Em 1974, uma revolução em Lisboa apanha de surpresa os portugueses que vivem em Angola. Em escassos meses, trezentas mil pessoas são obrigadas a largar tudo e a fugir, embarcando numa ponte aérea e marítima que marca o maior êxodo da história deste povo. Para trás deixam casas, carros, animais de estimação. Empresas, fábricas, lojas e fazendas são abandonadas. Luanda, a capital da jóia da coroa do império português, é abalada por uma guerra civil que alastra ao resto do território angolano, com três movimentos de libertação a combaterem entre si. É neste cenário de total desorientação e insegurança que Nuno, um aventureiro que há anos atravessa os céus do sertão angolano aos comandos do seu avião, luta, juntamente com Regina e o filho de ambos, para sobreviver à violência diária, às perseguições políticas, às intrigas e traições que fazem de Luanda uma cidade desesperada. Esta é uma história de coragem e abnegação, que poderia ser a de tantos outros portugueses deixados à sua sorte numa terra a ferro e fogo.

Ficha Técnica:

Ano da Edição / Impressão / 2013
Número Páginas / 520
ISBN / 9789892325095
Editora / ASA

Opinião:

Tiago Rebelo é um autor que sempre senti curiosidade de ler e com este romance, “O último ano em Luanda” finalmente consegui ler pela primeira vez. O livro é grande e pesado, mas a sua leitura é fácil, rápida e viciante.

O autor leva-nos a conhecer os acontecimentos em Luanda e Angola, enquanto colónia portuguesa na revolução dos cravos, os efeitos que isso trouxe e a série de eventos que se seguiram.

Nas palavras do autor conhecemos um casal, pouco convencional, o Nuno e a Regina. Acompanhamos a história em pontos fundamentais, antes da partida para a Angola e quando já lá estão, como a sua vida mudou e a relação entre os dois evoluiu. Regina é uma mulher muito independente e com uma mentalidade muito aberta para a época, Nuno é rebelde e deixa-se levar pelas situações em que se encontra. São um casal improvável que de uma forma ou de outra fazem a relação funcionar.

O livro é viciante desde a primeira página, as descrições das paisagens e locais são excelentes, conseguem despertar todos os cinco sentidos dos leitores.


É um livro muito interessante de um autor Português.
Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário