domingo, 18 de agosto de 2013

[Opinião] “Torrido” de João Frada (Edições Clinfontur)

0


Sinopse:

Na sua primeira obra deste género, o autor, servindo-se de uma longa retrospetiva de memórias, constrói, acompanha e relata a vivência das suas personagens num alargado contexto de universos geográficos, uns reais, outros fictícios, de Portugal continental e de África, entre as primeiras décadas do século XX e o início do século XXI. Começando por levar o leitor a imaginar e a saborear, contemplativamente, o espaço, as gentes, as artes e a natureza de uma das povoações mais bonitas de Portugal, a Praia de Mira, onde a prática artesanal de pesca à xávega ainda se realiza atualmente, é sobretudo em África que o autor centra e desenvolve quase toda a sua narrativa. Tete, cidade localizada nas margens do Zambeze, considerada como um dos locais mais quentes do noroeste de Moçambique, Lourenço Marques (atual Maputo) e Luanda são os magníficos cenários tropicais onde os principais atores desta estória, confrontados com estranhas realidades antropológicas, envolvidos por escaldantes controvérsias sociológico-políticas que marcam, em particular, os ritmos da sociedade portuguesa colonial e pós-colonial e, simultaneamente, refugiados na privacidade também ardente das suas vidas íntimas, dão corpo e alma a este romance, Tórrido.

Ficha Técnica:

Autor    João José Cúcio Frada
Temática             Romance
Data de Publicação        1ª edição (2013)
ISBN      97898996117643
Número de Páginas       420
Dimensões        150 x 220 mm
Peso      580g

Opinião:

“Torrido” é um livro que ataca certos problemas sociais, como é o caso da colonização e descolonização. Os problemas das pescas e da agricultura, os preconceitos.

Este livro demostra todo o trabalho que o autor teve de pesquisa e de investigação. A linguagem utilizada é bastante acessível e nos faz pensar acerca da nossa própria sociedade.

As descrições são ricas e repletas de pormenores. Há momentos em que a linguagem do autor se torna mais coloquial e mais técnica. Por vezes as personagens parecem saber mais do que deveriam. Mas podemos estar perante personagens mais conhecedoras do que o comum daquela classe social.


É um livro que se tona agradável de ler, mas que a sua densidade toma algum tempo a assimilar e a avançar.
Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário