terça-feira, 9 de abril de 2013

[Opinião] “Tão Veloz como o Desejo” de Laura Esquivel (Edições ASA)

0



Sinopse:
Júbilo veio ao mundo com um imenso sorriso e o dom de ouvir as palavras que habitam no coração das pessoas que o rodeiam. Era ainda menino e – ao servir de intérprete entre a avó, orgulhosa representante do povo Maia, e a mãe, de língua espanhola – já adoçava as palavras amargas que ambas trocavam, conseguindo que desse ódio nascesse respeito e amor. No México dos anos vinte, Júbilo é já um homem e trabalha como telegrafista, ocupação que lhe permite fazer bom uso do seu Dom, pois continua a ajudar as pessoas a revelarem o que lhes vai na alma, reescrevendo as mensagens que enviam. A felicidade plena chega quando Júbilo conhece Lucha, por quem se apaixona perdidamente. Enfeitiçados um pelo outro, casam e vivem uma vida de sonho.
Muitos anos passados, o telégrafo está abandonado, obsoleto que é como forma de comunicação; e Júbilo, solitário no seu leito de morte, onde jaz cego e mudo, sofre ainda com a tragédia que um dia o afastou da mulher, o seu grande e único amor.
Que acontecimento trágico poderá ter-se interposto entre os dois amantes, provocando um dano tão irreparável?
Mas Luvia, a filha de ambos, nascida já após essa inexplicável tragédia familiar, não vai descansar enquanto não desenterrar o fantasma do passado e desvendar o que está por detrás dessa história de paixão e amargura.
Ficha Técnica:
Número de páginas: 126
ISBN: 9724126552
Data de edição: Outubro de 2001
Opinião:
Este é um romance que lida com situações do quotidiano. Quem nunca se apaixonou perdidamente? Quem não sabe o que uma mentira pode custar? Este romance mostra como uma relação e um amor profundo podem acabar apenas por uma omissão.
As personagem que Laura Esquivel criou são realistas, como os humanos cometem erros e têm de viver com as suas consequências. Este livro envolve um amor enorme mas também um segredo que fica bem guardado até à parte final do livro, prendendo assim o leitor.
É um livro pequeno de leitura rápida e fácil. Achei bastante interessante a analogia com a mitologia maia que é a base cultural do México e das suas personagens.
Este foi o primeiro livro desta autora que eu li.
Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário