quinta-feira, 28 de março de 2013

[Opinião] “O Vento dos Khazares” de Marek Halter (Editorial Bizâncio)

0




Sinopse:

Misturando suspense e romance histórico, jogando com a realidade e a ficção, Marek Halter oferece-nos um livro soberbo, onde reencontramos a força e o encanto de O Messias e de Os Mistérios de Jerusalém. Na época em que Carlos Magno é coroado imperador do Ocidente, em que o Império Cristão de Bizâncio alarga as suas conquistas até à Rússia, em que o Grande Califa de Bagdade propaga a fé em Alá, algures entre as montanhas do Cáucaso e a embocadura do Volga, um reino converte-se ao judaísmo: é o princípio da aventura extraordinária dos Khazares. Mil anos depois, o escritor Marc Sofer lança-se à descoberta deste fascinante enigma. Porque decidiram estes guerreiros da estepe converter-se à religião judaica? Porque foram literalmente «apagados» da História, após trezentos anos de poder e de prosperidade? A sua investigação leva-o até Baku, capital petrolífera do mar Cáspio, precipitando-o numa intriga política bem contemporânea.

Ficha Técnica:

Edição/reimpressão: 2002
Páginas: 336
Editor: Bizâncio
ISBN: 9789725301470
Coleção: Ilhas Encantadas

Opinião:

Este livro aborda um tópico que é um pouco desconhecido do publico em geral. O que não o deixa de tornar interessante. Quando o reino dos Khazares surgiu todos os Judeus associaram à vinda do messias que tanto aguardam.  Marek Halter conseguiu retratar eximiamente essa esperança, e a forma como organizou o romance, em dois tempos diferentes, um na actualidade e outro em 950, pela época do reino, dá uma dinâmica interessante e aumenta à acção do livro. Isto confere ao leitor uma dinâmica e uma ansiedade para saber o que acontece às suas personagens preferidas, sejam elas quais forem. O romance é de fácil e rápida leitura porque se torna viciante. O final é surpreendente nos dois tempos da história.
As personagens estão bem desenvolvidas e são realistas. É de referir que algumas são personages históricas que envolveram bastante investigação por parte do autor de forma a serem credíveis. Achei bastante interessante que Marek tenha escolhido fazer de Sofer, a personagem principal, um romancista, o que se poderá associar ao autor, em si. Podendo por vezes geral um pouco de confusão, levando o leitor a pensar que foi ele que passou por todas aquelas peripécias, mas isso não invalida todo o trabalho em que este romance está assente.
Um livro com uma intriga interessante e com bastante acção recomendado a todos os leitores que gostem de um livro repleto de acção.
Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário