segunda-feira, 5 de maio de 2014

[Opinião] “A Improvável Viagem de Harold Fry” de Rachel Joyce (Porto Editora)

1


Sinopse:

Para Harold Fry os dias são todos iguais. Nada acontece na pequena aldeia onde vive com a mulher Maureen, que se irrita com quase tudo o que ele faz. Até que uma carta vem mudar tudo: Queenie Hennessy, uma amiga de longa data que não vê há vinte anos, e que está agora doente numa casa de saúde, decide dar notícias. Harold responde-lhe rapidamente e sai para colocar a carta no marco do correio. No entanto, está longe de imaginar que este curto percurso terminará mil quilómetros e 87 dias depois. E assim começa esta improvável viagem de Harold Fry. Uma viagem que vai alterar a sua vida, que o fará descobrir os seus verdadeiros anseios há tanto adormecidos e sobretudo vai ajudá-lo a exorcizar os seus fantasmas.

Com este seu romance sobre o amor, a amizade e o arrependimento, A improvável viagem de Harold Fry, que recebeu o National Book Ward para primeira obra, Rachel Joyce revela-se uma irresistível contadora de histórias.

Ficha Técnica:

Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 312
Editor: Porto Editora
ISBN: 978-972-0-04579-9
Idioma:                Português

Opinião:

“A improvável viagem de Harold Fry” é o romance de estreia de Rachel Joyce, com o qual a autora venceu o National Book Award. Um prémio que revela todo o talento da autora e a traz até ao público em geral. Ninguém consegue ficar indiferente a este romance e às suas personagens que nos cativam desde o primeiro momento.

Tudo começa com uma carta que chega às mãos de Harold Fry. Este e a sua esposa vivem presos na rotina e já quase que não têm qualquer ligação entre eles, são dois estranhos que habitam a mesma casa. O tempo e as circunstâncias da vida acabaram por afastá-los e nada fizeram para lutar contra essa situação. Estão acomodados à vida que levam e nada pode alterar como se sentem e como vivem até à chegada do carteiro naquela terça-feira. A vida destas duas personagens vai mudar nesse dia e, cada um à sua maneira, vão ter de enfrentar os fantasmas do seu passado e voltar a encontrar-se no presente.

A autora consegue-nos captar a atenção quando lemos as páginas, não nos revela logo a história toda ficamos com muitas perguntas que Rachel Joyce vai respondendo ao longo do livro e que nos fazem compreender melhor cada uma das suas personagens e as suas atitudes. A principal de todas as minhas questões foi: Quem é que foi Queenie e qual é a sua relação com Harold? Sabemos que a relação tem de ser muito forte porque se não o fosse nunca este teria caminhado para a salvar.

Uma coisa que achei muito interessante, foi o início do livro quando a autora nos apresenta o percurso de Harold no mapa e vemos a longa jornada que ele tem pela frente. Rachel aborda imensos temas actuais e que nos fazem pensar na vida.


Um excelente livro que nos vai deixar agarrados e que nos vai fazer sentir intensamente tudo o que as personagens passam, fazendo-nos chorar com elas e também rir. Este é um livro a não perder.
Reacções:

1 comentário:

  1. Viva,

    Bem ou me engano muito ou estamos na presença de um excelente livrinho, fica registado ;)

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar