sexta-feira, 23 de agosto de 2013

[Opinião] “O Mistério de Carlos Magno” de Steve Berry (Casa das Letras)

0


Sinopse:

O que liga um submarino secreto desaparecido, a exploração da Antártida pelos nazis em 1938 e o túmulo de Carlos Magno? Cotton Malone, ex-agente secreto americano, perdeu o pai em criança, supostamente durante um exercício militar, num submarino no Atlântico Norte. Empenhado em saber toda a verdade, pede à sua antiga chefe, Stephanie Nelle, para consultar os arquivos militares. A descoberta é surpreendente: o submarino que o pai comandava era uma embarcação nuclear secreta que se perdeu durante uma missão confidencial sob o gelo da Antártida. Mas Malone não é o único em busca da verdade. As irmãs gémeas Dorothea e Christle querem a fortuna prometida pela mãe àquela que descobrir o que realmente aconteceu ao seu pai que morreu igualmente nesse misterioso submarino. Mas elas estão ao corrente de algo que Malone não sabe: instigados por estranhas pistas descobertas no túmulo de Carlos Magno, os nazis exploraram a Antártida, em 1938. O ex-agente descobre que um diário redigido com enigmas indecifráveis e a viagem desventurada do seu pai estão relacionados com uma revelação de consequências incalculáveis para a humanidade. Finalmente será confrontado com a verdade sobre a morte do pai e com a possibilidade do seu próprio fim.

Ficha Técnica:

Ano da Edição / Impressão / 2013
Número Páginas / 608
ISBN / 9789724621937
Editora / CASA DAS LETRAS

Opinião:

Quando peguei neste livro senti-me intimidada pelo seu tamanho e pelo tema abordado. Será que com tanta página o livro não será maçador? Pensei eu. Foi com receio que comecei a ler e fiquei surpreendida pela positiva. Já há muito tempo que não lia um livro tão emocionante e repleto de acção. Fiquei rapidamente viciada na história e nas personagens. Este livro tem tudo, mistério, crime, acção. Os ingredientes essenciais para um romance deste género. Este é o sexto livro do autor que a Leya publica.

Cotton Malone odiava, por norma, espaços fechados.

Assim começa o livro e dá-nos logo a conhecer uma das personagens centrais e uma das suas características da sua personalidade. Cotton é um homem decidido em descobrir o que aconteceu ao seu pai e essa busca leva-o para uma aventura que nunca imaginou viver.

O vilão desta história, pode-se considerar como sendo o Langford C. Ramsey, uma personagem que vão adorar odiar. Senti mesmo vontade de entrar no livro e bater-lhe. Outra personagem que me causou a mesma sensação foi Isabel, a mãe das gémeas Dorothea e Christl, a sua atitude dominadora e como joga com as filhas, colocando-as uma contra a outra é irritante, e mostra a sua personalidade e a sua falta de amor por elas. O que pode resultar em desgraça já que ambas se odeiam. As gémeas, tal como Cotton tentam descobrir o que aconteceu com o seu pai.

Por seu lado, na relação das gémeas é bem patente a sua relação de rivalidade fraterna mas há algo mais que existe que nos parece sempre à flor da pele, está por baixo da superfície e por várias vezes parece-nos que entendemos, mas depois acontece algo que nos surpreende. as duas irmãs são os extremos e isso é bem patente.

A intriga é tão grande que o autor divide o romance em várias partes que ocorrem simultaneamente em várias partes do mundo. Desde a Europa, passando pela Antártida, até à América. Envolve imensas personagens, o que faz com que a acção avance a passos vertiginosos, não deixando o leitor respirar. O final deixa a desejar uma continuação e é completamente inesperado.


Steve Berry pegou em vários mistérios e enigmas da história da humanidade e criou um enredo realista e credível. As teses que ele apresenta estão bem estruturadas e bem sustentadas. É um livro que nos faz querer ver o que se esconde por detrás da outra página.
Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário