terça-feira, 20 de agosto de 2013

[Opinião] “Espelho Fraterno” de Isabel Corrêa da Silva (Divina Comédia)

0




Sinopse:

O Brasil e o republicanismo português na transicção para o século XX

A notícia da implantação da República no Brasil, a 15 de Novembro de 1889, foi recebida pelos republicanos portugueses com um entusiasmo quase redentor. No entanto, embora tenha sido recorrentemente exaltado para fins propagandísticos, o exemplo brasileiro acabou por ter uma presença sobretudo retórica no discurso do republicanismo português, sem que o seu modelo político tenha sido sujeito a uma análise crítica consistente.

A imagem da república irmã serviu essencialmente o projecto cultural patriótico da I República portuguesa. Da fraternidade luso-brasileira paulatinamente se chegou ao luso-brasileirismo como discurso político ao serviço da consolidação de um nacionalismo republicano, assente na ideia de um Portugal maior.

Um texto académico adaptado para o público em geral, O Espelho Fraterno é uma tese inédita, com prefácio de Rui Ramos, orientador da tese de doutoramento da autora.

Um livro indispensável na historiografia do republicanismo.

Ficha Técnica:

Título: O Espelho Fraterno
Autor: Isabel Corrêa da Silva
Prefácio: Rui Ramos
Selo: Divina Comédia
1ª Edição: Junho 2013
ISBN: 978-989-8633-09-5
Nº de páginas: 464

Opinião:

Hoje trago-vos um livro de não-ficção acerca das relações entre o Portugal e o Brasil na viragem do século passado. O tumulto político do início do século XX influenciou esta relação e mudou o panorama desta relação.

É um livro de história bastante interessante em que a autora é bastante clara e utiliza uma linguagem clara e de fácil compreensão. Apesar disto é um livro complexo e nos leva a ver e a refletir em cada parte, em cada capítulo. Aprendi muitas coisas novas que não conhecia e que achei bastante interessante. A autora conseguir não tornar um livro de história maçador, o que por si é um grande feito. Isabel Corrêa da Silva escreve muito bem.

É um livro que se recomenda a quem gosta de história.
Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário