quinta-feira, 1 de agosto de 2013

[Opinião] “A casa de Willow Street” de Cathy Kelly (Quinta Essência)

0


Sinopse:

Tess costumava sentir-se feliz com a sua vida: mora na idílica e costeira Avalon com o filho adolescente, Zach, e a filha nove anos, Kitty, e trabalha na loja de antiguidades local. O único arrependimento que tem é tudo ter corrido tão mal com o seu primeiro amor. Em seguida, o seu casamento chega ao fim e o tal primeiro amor regressa a Avalon…

Suki, irmã de Tess, fugiu da Irlanda anos antes para casar com o político Kyle Richardon. Quando descobre que alguém quer escrever uma biografia sobre ele há apenas um lugar para onde pode ir a fim de se assegurar de que os seus segredos permanecem escondidos. Danae é a funcionária dos correios de Avalon e esforçou-se bastante para garantir que ninguém sabe de onde veio ou quem é… O passado só a si diz respeito, e ela gostaria de mantê-lo assim.

Em Galway, Mara exibe um sorriso falso num casamento; só quer perguntar uma coisa ao noivo: porque lhe disse ele que a amava? Precisando de deixar o passado para trás, Mara pega na sua vida e prepara-se para um novo começo. Poderão estas quatro mulheres resolver os seus passados? Ou será que precisam de olhar para trás antes de poderem começar a viver para o futuro?

Ficha Técnica:

Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 448
Editor: Quinta-essência
ISBN: 9789897260735

Opinião:

Este é o primeiro livro de Cathy Kelly que li. Tal como muitas autoras irlandesas, esta centra-se nas relações humanas, no amor, na amizade, na confiança. Neste romance também aborda temas complicados como é o exemplo da violência doméstica. A capa do livro é bastante completa e as cores claras fazem com que não seja agressiva e chama a atenção a um leitor numa livraria.

A evolução da acção é um pouco lenta e com muitas personagens. Existem muitas histórias paralelas que nos impedem de compreender e por vezes nos fazem perder um pouco o fio à meada. As histórias são complexas e interlaçadas, pelas amizades e por amores, recentes e antigos. Existem relações muito interessantes e que nos dão muito que pensar acerca das nossas próprias relações.

Por vezes as coisas parecem muito forçadas, mas no geral as personagens são realistas. Com conflitos reais e com personalidades muito associadas às suas próprias vivências.

Senti-me transportada para as paisagens verdes irlandesas e a passear pelas ruas que me relembram contos de fadas e que são muito diferentes das nossas. Todo o livro me parece envolto numa certa aura de mistério muito típico da Irlanda.

Um livro muito interessante.
Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário