terça-feira, 23 de julho de 2013

[Opinião]“Marcada” de P. C. Cast e Kristin Cast

0


Sinopse:

Zoey Redbird tem 16 anos e vive num mundo igual ao nosso, com uma única excepção: os vampyros não só existem como são tolerados. Os humanos que os vampyros "marcam" como especiais entram na Casa da Noite, uma escola onde se vão transformar em vampyros ou, se o corpo o rejeitar, morrer.

Para Zoey, apesar do medo inicial, ser marcada é uma verdadeira bênção. É que ela nunca encaixou no mundo normal e sempre sentiu que estava destinada a algo mais. Mas mesmo na nova escola a jovem sente-se diferente dos outros: é que a marca que a Deusa Nyx lhe fez é especial, mostrando que os seus poderes são muito fortes para alguém tão jovem.

Na Escola da Noite, Zoey acaba por encontrar amizade e amor, mas também mentira e inveja. Afinal, nem tudo está bem no mundo dos vampyros e os problemas que pensava ter deixado para trás não se comparam aos desafios que tem pela frente.

Ficha técnica:

Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 312
Editor: Saída de Emergência
ISBN: 9789896371296
Coleção: Casa da Noite

Opinião:

“Marcada” é o primeiro livro da saga Casa da Noite que P. C. Cast escreveu com a sua filha Kirstin Cast. Esta história é mais dirigida ao público jovem. Quer devido à história em si quer há linguagem que as autoras utilizam.

Tal como em tantas histórias temos a adolescente deslocada que se sente como uma aberração e diferente de todos e alguma coisa extraordinária lhe acontece. É marcada por um vampyro. E é aqui que a história que diverge das histórias clássicas de vampiros. Estes não vivem escondidos na noite, mas sim no meio de todos bem à vista e toda a gente sabe da sua existência, até alguns dos famosos que no nosso mundo são estrelas de cinema, aqui são vampyros. Mas ser um deles não é para todos, muitos perecem quando estão a atravessar a chamada Mudança, e isso explica o seu número reduzido. Os cientistas ainda não conseguiram descobrir o motivo que leva alguns adolescentes a mudarem, não é necessário uma mordidela como nos clássicos, é algo de natural que já nasce com eles. Também existem fanáticos religiosos que neste volume não são muito abordados.

Zoey é a personagem principal e estamos a conhecer a história pelas suas palavras, o que nos leva a sentir alguma afinidade por ela. Mas isso limita um pouco porque só conhecemos a sua perspectiva. Quanto às outras personagens, são um pouco personagens tipo como estamos habituados a ver no cinema americano e nos livros de adolescentes. Temos as melhores amigas, as populares, os cromos. Tudo o que se vê habitualmente.

As autoras conseguem colocar bastante humor e ironia nas páginas e na história.


Neste primeiro livro não entendemos muito do porquê das mudanças em Zoey, fica muito em aberto para o segundo volume. Esta é uma grande saga, com cerca de uma dezena de volumes. 
Reacções:

0 comentários:

Enviar um comentário