quarta-feira, 17 de abril de 2013

[Opinião] “Sabor de Maboque – A Magia Africana” de Dulce Braga (Dinalivro)

1




Sinopse:

Dois meses após a Revolução dos Cravos, uma jovem nascida e criada em Angola passa, como de costume, as férias grandes na metrópole, desta feita, num clima de grande rebuliço, antevisão do que seria a sua existência dali em diante. Ao regressar à ainda colónia portuguesa em África, as sementes da futura guerra civil fazem-na temer pelo primeiro amor, pelos amigos, pela família e pela sua situação socioeconómica confortável. Um pouco antes da independência de Angola, a angústia condu-la ao Brasil, país em que decide esquecer a infância e a adolescência para não ter de enfrentar as cicatrizes do passado. Trinta anos depois, porém, a árvore da vida exige-lhe um resgate das suas raízes e a abertura da mala de cânfora, onde guardara as memórias da terra natal. Diário de uma luta pela sobrevivência, a saga de Dulce Braga entrelaça o dramatismo das experiências vividas com episódios pitorescos e anedóticos, conferindo à narrativa um sabor agridoce único, um sabor a Angola, um sabor de maboque.

Ficha Técnica:

Editora: Dinalivro
Autor: Dulce Braga
ISBN: 9789725765890

Opinião:

O meu Pai cresceu em Angola e tal como a autora teve de fugir de lá com toda a sua família e apenas as coisas que podiam transportar na fuga. Foi este aspecto que mais me atraíu neste livro quando li a sinopse.
Gostei bastante do tom que a autora utilizou, em cada palavra é bem visível a saudade daquelas e daqueles lugares que esta sente. É um livro que nos coloca os sentimentos à flor da pele e que nos dá um vislumbre do que muitos portugueses passaram naqueles últimos dias antes da libertação de Angola.
Esta é uma viagem às memórias da autora. Sendo que todas as personagens são reais e os acontecimentos, por mais terríveis que nos pareçam, neste momento, aconteceram. Houve relatos de pessoas mortas e carnificinas, a crueldade de um ser humano foi bem demonstrada nessa fase. E as pessoas temendo pelas suas famílias fugiram e muitas sonhavam que regressariam, em breve, em alguns meses pensavam. Sabemos que tão não foi real.
É um livro que todos devemos ler, de modo a compreendermos um período negro da nossa história, onde abandonamos um país à sua sorte sem qualquer apoio nem orientação. Deixamos um país entrar numa guerra civil longa e violenta.
Reacções:

1 comentário:

  1. Obrigada pelo carinho das palavras que dedica à minha "cria".
    Tomei a liberdade de referir seu blog no meu:
    http://sabordemaboque.blogspot.com.br/2013/04/quem-meu-filho-beija-minha-aboca-adoca.html.
    Abraço

    ResponderEliminar