terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

[Opinião] “As primeiras luzes da manhã” de Fabio Volo (Editorial Presença)

2



Sinopse:

Em As Primeiras Luzes da Manhã Elena vive uma vida sem paixão. Mas agora, ao aproximar-se dos quarenta, a rotina fastidiosa que tomou conta dos seus dias e do seu casamento é cada vez mais difícil de ignorar. Deseja ardentemente uma mudança, mas o medo de arriscar é proporcional a esse desejo, e Elena continua à espera que seja a vida a tomar a iniciativa... Até ao momento em que ganha coragem e aceita o convite do colega de trabalho que há algum tempo se insinua junto dela. Este envolvimento intenso e inesperado inicia-a num erotismo pleno e sem tabus que a liberta e finalmente lhe abre caminho para a tão desejada intimidade com o seu próprio mundo afetivo.
Fabio Volo é um fenómeno literário, com mais de 5 milhões de livros vendidos só em Itália.

Ficha Técnica:
Coleção: Grandes Narrativas
Nº na Coleção: 540
Data 1ª Edição: 05/02/2013
Nº de Edição:
ISBN: 978-972-23-4990-1
Nº de Páginas: 228
Dimensões: 150x230mm
Peso: 297g

Opinião:

Ganhei o livro “As primeiras luzes da manhã” no blog “Livros e Marcadores” e fiquei com muita curiosidade para o ler, já que há muita gente a falar deste autor. O livro está organizado de uma forma original, numas páginas Fabio Volo apresenta-nos um antigo diário de Elena, a personagem principal, seguida das suas memórias dos eventos descritos. A escrita de Volo é simples e directa sem muitos artífices nem mesmo descrições prolongadas.
A história centra-se em Elena, uma mulher como tantas outras que vive um casamento infeliz, onde ambos já perderam o interesse no seu conjugue e que se encontram presos na rotina. Ela é infeliz e acaba por tomar as rédeas da sua vida e entrar num mundo que desconhecia com paixão e loucura. Elena deixa de ser a ingénua e insegura mulher para se tornar numa sedutora e segura de si.
É muito interessante ver esta transformação através das palavras de Elena e depois verificar nas suas memórias enquanto lê aquele diário.
Volo conseguiu entrar na mente feminina como poucos conseguem, mas há pormenores e reacções que ele poderia ter aprofundado mais. Dá muita atenção às cenas de sexo, que estão bem descritas e muito detalhadas. Achei muito rápida a decisão que ela tomou em ceder aos seus impulsos e a “falta” de culpa que ela sente quando se cruza com o marido e na forma agressiva que ela por vezes o trata. O livro é pequeno e poderia ter sido melhorado com mais profundidade nos sentimentos e dilemas internos.
Conhecemos, as outras personagens, pelos olhos da narradora que nos revela aos poucos características destas. Acabamos por ter a noção que eles têm vida extra que ela não narra.
É um livro interessante, mas com alguns pontos que teriam de ser limados.
Reacções:

2 comentários:

  1. Gostei imenso do livro, mas concordo que havia algumas coisas a serem aprofundadas. Gostava de conhecer os pontos de vistas, por exemplo, do marido, do amante e da amiga de Elena.

    ResponderEliminar